fibromialgia

Fibromialgia: como o ortopedista atua no tratamento da doença

De acordo com o Hospital Israelita Albert Einstein, a fibromialgia é uma síndrome relativamente comum, afetando cerca de 2 milhões de pessoas no Brasil. Embora as causas específicas da doença ainda sejam desconhecidas, o acompanhamento com o ortopedista é essencial para melhorar a saúde e a qualidade de vida do paciente. Saiba mais sobre a fibromialgia no nosso artigo.

O que é fibromialgia?

A fibromialgia é um transtorno de dor crônica que pode acometer várias partes do corpo simultaneamente e, infelizmente, ainda não tem cura. É comum que o paciente perceba uma sensibilidade maior em articulações, músculos, tendões e outras partes moles do corpo. As crises de dor também podem vir acompanhadas de outros sintomas, como sonolência excessiva ou insônia, depressão, ansiedade e dores de cabeça.

Por mais que as causas específicas da doença não sejam totalmente claras, estudos apontam que a genética é um fator de risco, assim como infecções provocadas por vírus e doenças autoimunes.

Outro dado interessante é que cerca de 70% dos pacientes acometidos por fibromialgia são mulheres, embora a relação entre a doença e o sexo feminino também seja obscura.

O papel do ortopedista no tratamento de fibromialgia

A importância do acompanhamento com o ortopedista para pacientes com fibromialgia começa pelo diagnóstico. Não há nenhum exame laboratorial ou de imagem que possa identificar com eficiência essa doença.

Por isso, o médico especialista fará uma análise dos sintomas relatados e, a partir do exame clínico, poderá fazer o diagnóstico para dar início ao tratamento. Assim, nesse processo de identificar o quadro, o médico solicita exames para eliminar as possibilidades de outras doenças.

O tratamento para amenizar as dores e os outros sintomas da fibromialgia é interdisciplinar, ou seja, envolve diferentes áreas. Normalmente, o ortopedista começa prescrevendo sessões de fisioterapia, para que o paciente possa movimentar os músculos e as articulações corretamente, diminuindo as dores e evitando o comprometimento dos movimentos.

Também é possível que o especialista recomende a realização de exercícios físicos (desde que o paciente não tenha nenhuma outra limitação para isso). Nesse caso, devem ser observadas as orientações do médico e também do educador físico. Caminhada, hidroginástica e natação estão entre as atividades mais benéficas para quem sofre de fibromialgia.

Outro ponto importante do acompanhamento com o ortopedista é o fato de que ele pode receitar medicamentos para reduzir as dores. Primeiramente, são prescritos analgésicos, mas caso eles não façam o efeito desejado, o médico pode tentar até o tratamento com antidepressivos que atuem sobre o Sistema Nervoso Central e, portanto, possam trazer o alívio dos sintomas.

É fundamental que, após o diagnóstico e o início do tratamento, o paciente com fibromialgia continue se consultando com o ortopedista. Assim, ele pode avaliar se as alternativas de tratamento estão sendo eficientes e, caso não estejam, o que pode ser alterado para proporcionar mais saúde e qualidade de vida a ele.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em Belo Horizonte!

Comentários
Núcleo de Saúde Integrativa

Posted by Núcleo de Saúde Integrativa